Acupuntura no tratamento da Menopausa

Menopausa é o fenômeno fisiológico decorrente do esgotamento dos folículos ovarianos e interrupção definitiva dos ciclos menstruais. A menopausa ocorre em média aos 51,2 anos. Assim, grande percentual das mulheres passa parte de suas vidas apresentando a incômoda sintomatologia climatérica, devido às alterações hormonais da meia idade. Resta às mulheres muitos anos de vida após a menopausa, vivenciados em um mundo moderno, que exige higidez física e emocional para que elas possam acompanhar e atender às suas múltiplas e variadas tarefas, dentro do ritmo imposto a esta geração. A menopausa é antecedida por um período denominado climatério, onde gradualmente a mulher passa por mudanças hormonais com diminuição dos hormônios estrogênio e progesterona, “o climatério representa a transição entre a fase reprodutiva e a não reprodutiva, com consequências sistêmicas e potencialmente patológicas”. Relatam que a menopausa começa gradualmente e, em geral, é assinalada por alterações na menstruação. O fluxo mensal pode aumentar, diminuir, ficar irregular e, por fim, cessar. Esclarecem que a menopausa é dividida em duas etapas principais: a perimenopausa que se caracteriza por ciclos irregulares e a pós-menopausa, pela ausência da menstruação por mais de 12 meses. A ausência da produção do estrogênio pode causar vários problemas para as mulheres como: mudança no brilho e textura da pele, aumento da incidência de problemas cardíacos, má distribuição de gordura na região da barriga, ansiedade, depressão, alteração de humor, falta de interesse sexual, secura vaginal, secura nos olhos. Pode também surgir de forma prematura, antes dos 40 anos de idade, quando a mulher sofre falência ovariana pelo aparecimento de disfunções orgânicas, tais como, doenças que afetam a imunidade, disfunção da glândula tireóide, diabetes, câncer, tratamentos utilizando quimioterápicos e também pela remoção cirúrgica dos ovários. Neste período, no qual o organismo começa a se adaptar a níveis variáveis de hormônios, aparecem sintomas desagradáveis, ondas de suor e calor conhecidos como “fogachos” (sintoma de alteração vasomotor), referido como uma crise intensa e rápida de sensação de calor interno, calor intenso na face, parte superior do tronco e nos braços, seguido por enrubescimento da pele e depois sudorese profusa, com duração de um a cinco minutos que se repetem diversas vezes ao longo do dia e da noite. Em algumas mulheres, acompanham palpitações, vertigens, fraqueza, e é mais comum à noite, insônia, nervosismo, irritabilidade, diminuição da atenção e da memória, cefaléias, zumbidos, dor lombar, edemas, afinamento e queda de cabelos, ressecamento da pele, fadiga, palpitações, tristeza, vontade súbita de chorar, dor durante a relação sexual (devido a secura vaginal e falta de interesse sexual) e outros. As modificações, caracterizadas pela deficiência hormonal são acompanhadas de alterações fisiológicas e comportamentais. Os incômodos físicos e emocionais gerados por esta gama de sintomas interferem de forma acentuada nos variados aspectos de interrelacionamento da mulher, começando consigo mesma, com familiares, amigos, trabalho, estudos e até mesmo no lazer Existem várias recomendações que podem ser seguidas para minimizar esses sinais e sintomas podendo ainda melhorar a qualidade de vida da mulher, por meio de simples atitudes como: parar de fumar; realizar uma dieta rica em soja, frutas e verduras, consumo de alimentos ricos em cálcio para prevenção da osteoporose, atentar para os sinais de depressão, limitar o consumo de álcool e controlar a glicemia e a pressão arterial. Para alívio dos sintomas pode ser instituído tratamento medicamentoso (antidepressivos, medicamentos para redução da perda de massa óssea, redução das vertigens, ondas de calor e estrogênio vaginal para diminuir o ressecamento dessa região) além da terapia de reposição hormonal (TRH), onde o estrogênio, em determinadas combinações com progesterona e algumas vezes com testosterona, é utilizado para compensar e/ou manter os níveis deste hormônio no organismo. Mesmo assim, a terapia por reposição hormonal tem sido rejeitada pelo alto índice de dúvidas em sua utilização e também por ser contra indicado para fumantes, mulheres com risco de câncer de mama, depressão, enxaquecas, doença da vesícula biliar, ou que estejam acima do peso, doença tromboembólica aguda e recorrente, doença hepática grave, câncer de endométrio recente, câncer de mama, sangramento vaginal não diagnosticado. A mulher busca soluções e alternativas para que desequilíbrios orgânicos não interfiram em suas atividades físicas e mentais. Estas mulheres, a par das inúmeras dúvidas sobre a eficácia dos tratamentos alopáticos e seus fatores de risco, têm procurado outros recursos terapêuticos, entre eles, a Acupuntura, para o tratamento e alívio dos incômodos sintomas que comprometem a sua qualidade de vida, a partir do período em que se inicia a menopausa. Estudos realizados na Escola de Medicina da Universidade de Stanford, mostraram que o tratamento através da acupuntura, obteve bons resultados no alívio dos sintomas mais comuns, como os flashes de calor (fogachos), ansiedade, insônia e instabilidade emocional, proporcionando uma melhora na qualidade de vida. Assim, a acupuntura seria uma opção para o tratamento da menopausa auxiliando no controle dos sinais e sintomas que incomodam as mulheres, visto possuir eficácia comprovada cientificamente e ser utilizada há anos. A acupuntura visa, então, restaurar e devolver o equilíbrio energético através de estímulos em pontos específicos para ajudar no restabelecimento do “equilíbrio” perdido, que é, segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a causa dos sintomas, seja de natureza física ou psíquica. Algumas das razões que fazem com que a MTC seja uma boa escolha para as mulheres com problemas ginecológicos, inclusive a síndrome climatérica, é que não oferece perigo inerente ou efeitos colaterais incômodos. É holística, não separa a pessoa em fragmentos tratando um sintoma ou parte dele, trata o indivíduo como um todo. Diante das contra-indicações da terapia de reposição hormonal, o uso da acupuntura para alívio dos sinais e sintomas da menopausa constitui uma opção segura, com eficácia comprovada, que proporciona alívio dos sintomas e, consequentemente, melhor qualidade de vida para a mulher.   menopausa      
http://espacomarciamorita.com.br/blog/2016/09/14/acupuntura-no-tratamento-da-menopausa/